Image
Image
23 de Julho de 2021
Pangeia

Num espaço e num tempo que pára, as aproximações esgotam-se: as distâncias prescritas e a vontade de se ser uno retorna. Quebraram-se do continente pedaços, e destes se fizeram sombras. Penumbras que se cruzam num limiar. Não me perguntem pela cor da minha fotografia. Pode ser perigoso, consegues ouvir? Pega o mapa. É urgente que se abram as portas, tinhas-me dito. Dobra-se um mapa pelas pontas e sobrepõem-se identidades. As ruínas fazem o monte, o monte faz a fonte. Da fonte correm saudades de mim, saudades da casa da minha avó, saudades de voltar a ser. Pega o mapa!


PANGEIA, um espetáculo performativo que partiu da exploração do Eu com destino a um Nós. Narrativas que se fundem através de um corpo criativo comunitário, na procurade um espaço comum de libertação, coragem, fragilidade, melancolia e espanto.


No super continente Pangeia (do grego Pan = todo, Gea = Terra) um grupo de artistas que emerge de “todas as terras”, constrói um mapa de memórias e novas visões de “terras unidas”, entre diversos continentes.


Através do cruzamento de diversas linguagens artísticas e da escuta artística ,assumindo o Teatro como um espaço de encontro e diálogo entre comunidades.


Partimos da escrita de dramaturgias individuais ao teatro documental, filtrado por um olhar poético e estético da memória atravessada sempre por o corpo inscrito pela vida dos criadores.


A experimentação de linguagens artísticas direcionadas a contextos comunitários e seus saberes para promover e definir boas práticas profissionais (humanas, teatrais e éticas) neste âmbito de ação.


No laboratório de Teatro e Comunidade unidos em um único bloco continental, cercado por um único oceano-" O Pantalassa" chegamos á construção de um texto comum que cruza horizontes e vontades. Um corpo coletivo que nasce da inscrição e compromisso com o Teatro e a autenticidade. Nestes tempos onde a informação matou a narração, o ator é um narrador construtor de visíveis invisíveis. Navegamos numa bolinha de ping-pong que é a mente irrequieta que apenas repousa na ilha do corpo consciente e presente ( onde assenta este trabalho)


Esta Pangeia consegue explicar questões fundamentais do mecanismo teatral capaz de movimentar as imensas placas continentais, que acreditamos mover através da criação de uma comunidade, uma fogueira de esperança na Deriva atual.


Visão ampliada do interior do supercontinente Pangeia que apresenta a ligação ancestral entre Teatro e comunidade. A fusão entre pesquisa e criação e a construção de uma gramática artística de transformação .Da interação entre as práticas artísticas e as comunidades surge um território de criação único e com características muito próprias.


Esta Pangeia processo de criação entre chamas e continentes é um navio de esperança.


Texto Rita Maria Bastos Wengorovius


Direção Artística: RITA WENGOROVIUS

Criação K73 :Ana Dias, Atcho Express, Duarte A. Soares, Klemente Tsamba, Liliana Janeiro, Maria Inês Brás, Mariana Índias, Patrícia Soso, Paula Silva, Salita Mateus)

Apoio ao movimento: Salmo Faria


Operação de Luz e Som: TEATRO DA GARAGEM

Co-Produção: TEATRO DA GARAGEM E MESTRADO EM TEATRO E COMUNIDADE ESTC – IPL

23, 24, 25 JULHO 2021 TEATRO TABORDA 15:30

Image
Image

Subscreve Newsletter

Inscreve-te e recebe a Newsletter CCP

Encontre-nos em:

Image
Image
Image
Image
Image
Image

Contactos

Campo de Santa Clara

Mercado de Santa Clara 1º piso

1100-472 Lisboa

Tel. +351 913 192 292

geral@clubecriativos.com